Do HTML ao Joomla! – História da Konfide

A Konfide completa 10 anos este ano, porém eu trabalho com internet desde 1997. Nestes 15 anos de estrada digital atravessei diversas fases do desenvolvimento web e em 2000/2001 enfrentei a “bolha da internet” que foi a grande crise do mercado digital. A minha primeira empresa foi uma produtora de sites chamada Arteweb, depois fundei com mais dois sócios uma agência de comunicação digital chamada Tomate Comunicação Digital e, em 2002, fundei a Konfide Marketing Digital. Vejam a evolução dos sites ao longo do tempo. linha-do-tempo-arteweb-konfide Hoje iniciarei uma série de artigos com foco em boas práticas para criação de sites, pois trabalho há mais de 10 anos com internet e percebo que grande parte dos projetos de sites ainda não seguem boas práticas. Muitos sites não são fáceis de gerenciar e não foram planejados para aparecer com eficiência no Google. Além disso, uma das grandes tendências de acesso a conteúdo digital é através de plataformas mobile como iPhone, Android, iPad e outros. Em 1998, a internet ainda era uma novidade e as pessoas nem sabiam direito as vantagens de ter um site, mas era um mercado em grande expansão. A mídia em torno da internet gerou uma sobrevalorização da internet que, na prática, ainda não tinha uma grande quantidade de usuários. Além disso, havia uma escassez de profissionais para criação de sites e a maioria dos sites era feita de forma estática com HTML. Logo em seguida, surgiu o FLASH que tornou os sites extremamente atrativos visualmente, porém pobres em praticidade. Depois surgiram os sites dinâmicos com sistemas de gerenciamento de conteúdo que tornavam a gestão de conteúdo mais simples e com menor dependência do programador web. As duas grandes tecnologias que dominaram esta fase foram o ASP (Microsoft) e PHP (Linux). O site da Tomate Comunicação Digital foi feito em ASP com Flash e tinha um sistema de gestão de notícias e portfólio. O primeiro site da Konfide foi feito com ASP, mas em 2006 tive a felicidade de conhecer o Joomla!. evolucao-tecnologia

Sites em HTML – Achei que ficaria rico fazendo sites com FrontPage

frontpage No início da internet comercial, os sites eram desenvolvidos em HTML e um dos primeiros softwares para criação de sites foi o Microsoft FrontPage. Ele possui alguns templates de sites que tornavam mais simples criação de sites. Os primeiros sites foram criados usando este software que em pouco tempo perdeu espaço para o Dreamweaver da Macromedia. Neste época, praticamente todos os sites eram estáticos e as atualizações eram pouco frequentes. Era comum encontrar sites que passavem MESES sem sofrer qualquer atualização. Os webdesigners cobravam uma mensalidade para fazer alterações de textos e fotos nos sites.

Sites em Flash – Impressionando o visitante

O surgimento do Flash foi um alívio para os designers, pois as limitações impostas pelo HTML deixaram de existir. Os sites passaram a ser extremamente criativos e dinâmicos (do ponto de vista visual), porém a atualização de conteúdo se tornou mais complexa e com grande dependência do webdesigner com conhecimentos em Flash. Para piorar, era comum encontrar sites cujo arquivo original do Flash havia ficado com o “webdesigner anterior” e o cliente não podia atualizar o conteúdo. Verdade seja dita: O Flash permitiu criar sites que causavam um grande impacto aos visitantes! Outros problemas dos sites em Flash eram a demora no carregamento do site e, com o crescimento do Google, a dificuldade para serem encontrados nas buscas.

Sites dinâmicos – Tornando fácil a gestão de conteúdo

Os clientes começaram a demandar por sites mais fáceis de gerenciar, com isso, surgiram plataformas de gestão de conteúdo (CMS – content management system) para facilitar a atualização dos sites. As duas principais linguagens de desenvolvimento foram o ASP (Microsoft) e PHP (Linux). O primeiro site que fizemos com sistemas dinâmicos foi o Ironman Brazil que é a maior prova de triathlon do Brasil. ironmanbrazil Em pouco tempo, várias agências de internet (inclusive a minha) estavam disputando qual delas tinha o “melhor sistema de gestão de conteúdo“.

A descoberta do Joomla! – E Deus fez a luz… ops, o Open Source!

No final de 2006, decidi que estava na hora de mudar o site da Konfide, porém não sabia que tecnologia iria utilizar. Pesquisando no Google, descobri que existia um tal de…. Joomla! que era um CMS Open Source que facilitava a gestão de conteúdo. Decidi que iria utilizar o Joomla! para o novo site da Konfide! Lembro até hoje que em pouco mais de 2 horas de pesquisa: Descobri um site de templates prontos – o Joomlart.com, escolhi o template JA REGULUS e fiz uma customização do TOPO para incluir o logo da Konfide e trocar a cor. Veja o resultado abaixo: site-konfide-joomla Desde então, me tornei um fã e um dos principais evangelistas do Joomla! e das plataformas open source no Brasil. Mais do que uma grande plataforma de gestão de conteúdo, o Joomla! é a porta de entrada de uma grande comunidade de pessoas que colaboram para tornar o Joomla! cada vez melhor e mais difundido. Fui convidado por Ronildo Costa, Matheus Mendes e Igor Dutra para ajudar na organização do primeiro Joomla! Day Brasil que foi organizado em São Paulo em 2007. O evento teve a participação de 70 pessoas, porém em 2008 tivemos 120 participantes, em 2009 (no Rio de Janeiro) tivemos mais de 200 participantes e em 2010 (Brasília) tivemos mais de 300. Fui palestrante em todas estas edições, mas em 2011 não pude participar. joomladaybrasil2010-participantes

Lições Aprendidas

Nestes anos de aprendizado digital e 43 anos de vida, creio que posso dar alguns conselhos para que possam inspirar outras pessoas:

  • Seja humilde e lembre-se que SEMPRE tem alguém que sabe mais do que você e que é possível aprender muito se estiver aberto para ouvir.
  • Ensine algo novo para alguém, pois “Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.” Cora Coralina.
  • Abandone velhos hábitos para dar espaço para inovação! Uma grande amiga, Carol Dantas da Bahia Comunicação, me contou uma estória muito legal na qual dois monges foram visitar uma família muito pobre cujo único meio de sobrevivência era uma vaquinha. Ao saírem do sítio, o monge mais velho e sábio falou para o monge mais novo: Volta lá e empurre a vaquinha no precipício. O monge mais novo se espantou, mas cumpriu sua missão. O fato é que depois de um ano, ao retornarem para visitar a mesma família se depararam com um sítio muito bonito e florido. Quando perguntaram ao dono da vaquinha como ele conseguiu melhorar tanto em tão pouco tempo, ele respondeu: Vocês não vão acreditar, quando vocês foram embora há 1 ano atrás, a nossa vaquinha caiu do precipício e achamos que seria o fim do mundo. No final, descobrimos habilidades para ganhar dinheiro de outra forma e conseguimos melhorar de vida! E você? Descubra suas “vaquinhas” e jogue-as no precipício! Leiam o post completo no blog do Marcio Zeppelini: A Vaquinha.
  • Ajude uma ONG ou apóie uma causa social. Apenas se indignar com a situação do Brasil e do mundo não ajuda ninguém. Procure uma causa na qual se identifique, encontre uma ONG e se torne voluntário. “Começar já é metade de toda ação.” Provérbio grego. Em 2012, darei uma grande atenção ao meu projeto Wikisocial – Sites para ONGs cujo objetivo é criar uma rede de voluntários para criação de sites para ONGs usando Joomla! ou WordPress. Visitem o site: http://www.wikisocial.com.br

Desejo um 2012 repleto de conquistas e convido você a COLABORAR com seu comentário!

Marcio Okabe

Deixe uma resposta